Sintonia para pressa e presságio

. Escrevia no espaço.
Hoje, grafo no tempo,
. na pele, na palma, na pétala,
luz do momento.
. Sôo na dúvida que separa
o silêncio de quem grita
. do escândalo que cala,
no tempo, distância, praça,
. que a pausa, asa, leva
para ir do percalço ao espasmo.

. Eis a voz, eis o deus, eis a fala,
eis que a luz se acendeu na casa
. e não cabe mais na sala.

Paulo Leminski

Nota de Esclarecimento: Queridos leitores, gostaria de pedir desculpas pelo imenso atraso na publicação dos poemas, já que estou há quase 15 dias em falta com as publicações diárias.
Entre 24 de julho e 6 de agosto serão publicados poemas que gosto muito, mas que não tem como atender totalmente à proposta do blog, que é publicar textos que de alguma forma tenham a ver com o meu dia-a-dia, devido ao atraso.
Novamente peço desculpas, farei o possível para que isso não ocorra outra vez.
Anúncios
Published in: on 28/07/2009 at 0:00  Deixe um comentário  

Poesias – II

Tudo é vago e muito vário
meu destino não tem siso,
o que eu quero não tem preço
ter um preço é necessário,
e nada disso é preciso

Paulo Leminski

Published in: on 13/05/2009 at 20:06  Deixe um comentário  

Poesias – I

Confira
tudo que
respira
conspira

Paulo Leminski

Obs: normalmente, sobre a Перестройка.
Published in: on 08/05/2009 at 15:45  Deixe um comentário  

Poesias – IV

isso de querer
ser exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai
nos levar além

Paulo Leminski

Published in: on 16/04/2009 at 17:06  Deixe um comentário