Nadices

Brinco com a razão
não tenho idade nem sexo
o real é invenção
já foi e continua sendo
nada.
Não perco o senso
sou o que penso.

Ieda Estergilda de Abreu

Anúncios
Published in: on 16/09/2009 at 16:11  Deixe um comentário  

Ideário (2)

Me espanto, me perco, me acho, me refaço
em qualquer lugar
me largo, me deixo, me entrego, me
desvelo aqui ou lá
me bato, me estrago, me reparto e
despedaço
me sento, me enxergo e considero:
o que que há?
Me enraízo, me escravizo, me divido e
multiplico
em qualquer ar
me esqueço, me comovo, me morro e sou de
novo
em qualquer lugar.

Ieda Estergilda

Published in: on 29/05/2009 at 23:59  Deixe um comentário  

Afinal

o que é? um homem, uma mulher?
um peixe, uma pedra, uma colher?

É o começo, é o fim
é o meio, é margem
é bom ou ruim?

Que estado é esse, que nação?
É sólido, é direito? é protesto
ou apenas uma canção?

Quem chegou, quem abriu a porta?
A mão, o vento?
O que aconteceu com o pensamento?

Ieda Estergilda

Published in: on 08/04/2009 at 0:36  Deixe um comentário