Sonetos Luxuriosos – 6

Fodamos, meu amor, fodamos presto,
Pois foi para foder que se nasceu,
E se amas o caralho, a cona amo eu;
Sem isso, fora o mundo bem modesto.

Fosse foder após a morte honesto,
“Morramos de foder!” seria o meu
Lema, e Eva e Adão fodíamos por seu
Invento de morrer tão desonesto.

É bem verdade que se esses tratantes
Não comessem do fruto traidor,
Eu sei que ainda fodiam-se os amantes.

Mas caluda e me enfia sem temor
Esse pau que à minha alma, em seus rompantes,
Faz nascer ou morrer, dela senhor.

.                            E se possível for,
Quisera eu pôr na cona esses colhões
Que de tanto prazer são espiões.

Aretino

Publicado na Semana Especial de Poesia Erótica

Published in: on 05/07/2009 at 15:45  Comments (1)