Mote

Pus entre as mãos do meu bem
Alma, vida e coração

Glosa

Fingindo meigo desdém,
Estando muito arreitado,
O meu caralho entesado
Pus entre as mãos do meu bem;
De mil carícias além,
Na cabeça pôs-lhe a mão,
Com tão doce sensação,
Que, apertando a minha bela
Lancei numa esporradela
Alma, vida e coração.

Laurindo Rabelo

Publicado na Semana Especial de Poesia Erótica

Published in: on 06/07/2009 at 21:56  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://poemadodia.wordpress.com/2009/07/06/373/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. Excelente!!!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s