Sonetos Luxuriosos – 6

Fodamos, meu amor, fodamos presto,
Pois foi para foder que se nasceu,
E se amas o caralho, a cona amo eu;
Sem isso, fora o mundo bem modesto.

Fosse foder após a morte honesto,
“Morramos de foder!” seria o meu
Lema, e Eva e Adão fodíamos por seu
Invento de morrer tão desonesto.

É bem verdade que se esses tratantes
Não comessem do fruto traidor,
Eu sei que ainda fodiam-se os amantes.

Mas caluda e me enfia sem temor
Esse pau que à minha alma, em seus rompantes,
Faz nascer ou morrer, dela senhor.

.                            E se possível for,
Quisera eu pôr na cona esses colhões
Que de tanto prazer são espiões.

Aretino

Publicado na Semana Especial de Poesia Erótica

Published in: on 05/07/2009 at 15:45  Comments (1)  

The URI to TrackBack this entry is: https://poemadodia.wordpress.com/2009/07/05/sonetos-luxuriosos-6/trackback/

RSS feed for comments on this post.

One CommentDeixe um comentário

  1. Adoro, em tradução de JPP.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s